13/10/2017

É DIA DE AGRADECER...

Há um mês atrás quando marcámos a nova consulta de neuro cirurgia para o Pedro não reparámos realmente no dia que era... 13 de Outubro, dia em que a Nossa Senhora apareceu aos pastorinhos! Não havia de facto melhor dia para receber noticias do nosso pequenino. Mais uma vez a ciência e a fé estavam a caminhar lado a lado na nossa vida.
Esta foi uma semana intensa em que começámos com a consulta com a fisiatra para analisar o trabalho que fizemos ao longo de 12 sessões e que termina hoje com a consulta de neuro cirurgia. O balanço foi tão mas tão gratificante que só podemos estender os braços ao ar e agradecer estas boas novas, que não sendo a cura, nos dizem que estamos a caminhar para o lado certo.

No que diz respeito à Fisiatra foi-nos dito que o Pedro mantem uma hipotonia axial mas muito mais ligeira e que o torcicolo estava praticamente superado. Iremos manter a fisioterapia duas vezes por semana e, este deve ser o melhor remedio de todos, muito colinho! Neste momento o nosso pequenino precisa fortalecer o pescocinho. É esta a nossa missão!

No que diz respeito à consulta de neuro cirurgia a Dra. Paula fez todas as medições e ... enquanto o fazia nós ficámos ali com a vida suspensa quase que sem respirar. Mas em boa hora o fez porque o nosso pequenino passou de um desvio de 12mm para 8mm num mês! Num mês conseguimos 4 preciosos milímetros!! A Dra. Paula disse que não se ia comprometer com um diagnostico final em que o nosso pequenino não virá a usar o capacete mas, e isto apesar de ser apenas uma previsão já nos enche de esperança, que suspeita que ele não o virá a usar. Neste momento somos todos esperança e alegria e estamos a comemorar estes 4 milímetros que parecendo uma medida tão pequenina é um passo gigante para o nosso pequenino.

Temos mais um mês de muito contrariar a cabecinha para o lado que ele não gosta (tanto), de muito colo, de muitas horas de fisioterapia mas acima de tudo mais um mês de muita gratidão por estarmos rodeados de bons profissionais e de um carinho imenso que nos chega de tantos lados.

Obrigada a todos!

Para ti senhora as palavras finais: obrigada por tantas vezes pegares em nós ao colo quando a força nos falta. Tu és a força, tu és a energia, tu és luz!

nota - o Francisco ficou tao feliz com a noticia do mano estar melhor que deu a sua primeira gargalhada no consultório da Dra Paula. Não, não foi um sorriso, foi mesmo uma gargalhada!!

11/10/2017

ANÉIS #11

Mais três propostas de alianças da Coleção FW17/18 by FIOAPAVIO, simples mas carregadas de significado

Aliança FEATHERS I - aliança em aço inox com 5mm de altura (material que não oxida, não deforma e não perde a cor) com trevos de quatro folhas recortados

Aliança FEATHERS II - Uma aliança em aço inox com 5mm de altura (material que não oxida, não deforma e não perde a cor) com  folhas recortadas

Aliança TRUE LOVE I - Uma aliança em aço inox com 4mm de altura (material que não oxida, não deforma e não perde a cor) com  corações recortados.

Existem poucas peças de cada por isso não se distraia nas suas compras.

Envie as suas questões para fioapaviobazar@gmail.com ou mensagem privada via FACEBOOK ou INSTAGRAM 

Ousam?

Aliança FEATHERS I em aço inox com 5mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

Aliança FEATHERS I em aço inox com 5mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

Aliança FEATHERS II em aço inox com 5mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

Aliança FEATHERS II em aço inox com 5mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

Aliança TRUE LOVE I em aço inox com 4mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

Aliança TRUE LOVE I em aço inox com 4mm de altura (disponível com 17mm, 18mm e 19mm de diâmetro interior)

10/10/2017

FIOS #102

Neste regresso ao trabalho que ainda se faz de forma (muito) lenta trago-vos os Fios KINGS & QUEENS INITIALS.

São fios de aço de elos achatados, com 48cms de comprimento, e com uma letra recortada com coroa e 2cms de altura em alumínio. Ambos os materiais são de grande duração, leves, e não oxidam nem deformam.

É possível personalizar com as letras que se desejar, para isso basta que envie as suas questões para fioapaviobazar@gmail.com ou mensagem privada via FACEBOOK ou INSTAGRAM 

Ousam?




27/09/2017

PORQUÊ EU?

Quantas vezes ouvimos a pergunta sempre que alguma coisa corre menos bem? Quantas vezes ao longo da nossa vida o fizemos? Creio que ninguém o contabiliza mas serão certamente muitas. Mas será que nos lembramos dela quando algo de bom nos acontece? Será que o fazemos com a mesma ligeireza?
No passado sábado fomos a Fátima e foi ali, naquele local de fé, de oração e de contemplação que surgiu, sem pedir licença: Porquê eu?
De joelhos, de pés em ferida, de corações despedaçados ou repletos de gratidão, as pessoas encontram-se ali sem hora marcada. Todas elas com intenções que só elas saberão. Mas porquê eu? Vejo braços que seguram 16 velas, vejo mãos que seguram apenas uma... todas com a mesma convição, com os mesmos receios, com os mesmos medos e certamente com a mesma fé. Há quem acenda uma a uma, há quem as atire para a pira de uma só vez de forma aleatoria, há de tudo mas no final o simbolismo é o mesmo - um acto de fé. 
Mas porquê eu? pergunto vezes sem conta de mim para mim. Olho à minha volta e vejo rostos marcados pela dor, cheios de esperança, cheios de fé. Rostos marcados pela vida, que historias esconderão? Porquê eu Senhora? Porquê eu mãe? Porque me concedeste esta enorme benção que sinto não ser de todo merecedora (mas que desejava) e ainda por cima a duplicar? Porque me escolheste de entre tantas outras mulheres que anseiam viver este momento de felicidade suprema? A verdade é que não encontro resposta para as minhas questões, apenas um sentimento - GRATIDÃO! Aprendi algures na vida que a gratidão é a memória do coração e o meu transborda desse sentimento.
Não sei porque me escolheste para acolher estes dois seres de luz, não sei porque foi o meu corpo selecionado para os trazer ao mundo mas aceito-o de peito aberto e como missão de vida.

Obrigada por me teres mostrado ali, num local de magia, que o porquê não existe apenas associado a coisas menos boas. Que o porquê deve ser audível acima de tudo quando a vida é generosa. Continuarei à procura de respostas, continuarei a procurar em mim o que me faz merecer tamanha  graça e alimentarei mais vezes a questão me levou a escrever hoje: Porquê eu?

22/09/2017

3 MESES DE NÓS

Falar de vocês e para vocês consegue ser a missão mais fácil e ao mesmo tempo a mais desafiante de sempre. Evitar escrever todos os clichés existentes sobre esta forma de amar incomensurável e no entanto achar que todos reunidos ficarão sempre aquém do que realmente se sente. Vocês são sem sombra de duvida o nosso maior sonho e o mais desafiante de todos os desafios.

Falar de vocês e para vocês é precisamente começar por deixar de vos tratar assim... sei que durante a vossa vida serão muitas vezes chamados de "gémeos", "Twins",... e todos os outros sinónimos  que significam que escolheram o mesmo dia e a mesma hora para nascerem, sem que se preocupem em usar o vosso nome próprio. Nada há a censurar pois nós pais muitas vezes caímos nesse facilitismos e por isso mesmo temos de nos corrigir... Francisco e Pedro, o nosso sonho materializado em dois seres humanos pequeninos.

Falar de ti e para ti Francisco é falar da tua impaciência, essa característica que herdaste da mãe e que certamente te trará algumas agruras ao longo da vida. É falar da tua genica e vontade de engolir o mundo com tanta vontade que tens de o conhecer. É falar das birras ao final do dia que são uma enorme interrogação para nós, que a todo o custo tentamos superar e que vulgarmente chamamos de cólicas. É falar dos teus puns mal cheirosos  (meu deus filho como é possível conseguires tamanha proeza) e da cara de não é nada comigo (quase que assobias para o lado) quando tens a fralda suja de cocó. É falar do teu sorriso rasgado que nos preenche todas as duvidas e incertezas. É falar dos sons que fazes como que a dizer que estás aqui e que queres que te oiçam. É falar dessa mania de te tapares com fraldas, mantas e afins para que o sono tome conta de ti (e matar aos poucos esta que te colocou no mundo). É falar do teu corpo pequenino e espevitado juntinho ao meu. Falar de ti meu amor é falar de uma parte de mim que eu desconhecia e que agora ganhou forma. Temos tanto para descobrir, tanto por partilhar, juntos...

Falar de ti e para ti Pedro é falar dessa calma aparente que emanas, essa forma de estar que certamente veio do teu pai e que eu desconheço. É falar dessa tua incapacidade de chorar e que vais substituindo por um miar constante que tanto nos arranca sorrisos. É falar dessa carinha que fazes de desgraçadinho que nos faz derreter o coração e nos faz querer apertar-te e proteger-te de tudo e de todos. É falar das mãozinhas que juntas junto ao peito quando estás a fazer o teu cocó (quando nos convertemos em pais a escatologia entra definitivamente na nossa vida e no nosso dia a dia). É falar do som que fazes quando tens a tua chucha e que nos faz sorrir. É falar do nome que carregas e que me lembra com uma saudade imensa alguns homens da minha vida e que partiram demasiado cedo (e que felizes ficariam de te conhecer... que felizes estarão a ver-te lá bem do alto).É falar dessa pequenina imperfeição com que nasceste e que já faz de ti um guerreiro, um lutador e um resistente. Falar de ti meu amor é falar de um sentimento que eu sabia existir mas que nunca vivera. Juntos seremos tanto meu amor. Juntos seremos tudo o que desejarmos.

Falar de vocês e para vocês, hoje no dia em que comemoramos o terceiro mês da vossa existência, é tao simples e ao mesmo tempo tao complexo. Vocês são todas as palavras do dicionário e ao mesmo tempo nenhuma, pois todas serão poucas para vos descrever. Adjetivar-vos é uma missão herculana para qual julgo não estar preparada.

Falar de vocês e para vocês é falar do amor na sua versão mais pura e animal. Amamos-vos com todos os nossos defeitos e todas as nossas virtudes. Que venham mais meses, mais aventuras, mais desconhecido, mais desafios... juntos chegamos onde quisermos.

Parabens meus amores pequeninos!






20/09/2017

O QUE PEDI A NOSSA SENHORA EM PEREGRINAÇÃO

É a primeira vez que falo nisto. Na verdade é a primeira vez que sinto necessidade de o fazer.
Foi com uma cabeça e um coração desorganizados que decidi ir em peregrinação. O desejo de rumar a Fátima era antigo mas naquele momento o desejo aliou-se à necessidade. Estávamos próximos de tomadas de decisão importantes e eu sentia que precisava do coração limpo de amarguras e rancores e a cabeça com o máximo discernimento. 
Era fácil, demasiado fácil, pedir à mãe de todas as maes que me guiasse rumo à fertilidade. Eu sei que a maioria se lhe dói a cabeça, pede para que a cabeça pare de doer; se têm alguma doença, que essa doença desapareça; é mais ou menos esta a lógica certo? Comigo não foi assim... Eu nunca achei justo pedir  tal coisa. Ser mãe é ser escolhida. Ser mãe é deixar que o nosso corpo aceite receber novas vidas e isso não se pode pedir. Não seria justo, pensava eu.
Então por onde andaram os pensamentos durante a minha peregrinação? Primeiro que tudo revi mentalmente tudo o que me incomodava, abri todas as gavetas outrora fechadas e revi uma a uma, pensei repensei e agradeci tudo o que de bom existia (mesmo nas situações aparentemente menos positivas). Agradeci quantas vezes me lembrei. Agradeci muito. Mas como não sou um ser perfeito (longe disso) também cedi ao pedido. Também cedi a pedir uma coisa muito particular à Nossa Senhora... fiz um único pedido a esta senhora de luz: "Senhora ajuda-me a aceitar tudo o que tens para mim, aceita-me a receber bem tudo o que a ciência e a natureza têm reservado para nós. Senhora não faças de mim uma pessoa amargurada, uma pessoa rancorosa. Ajuda-me a usar as contrariedades e a partilhá-las com outros para que juntos consigamos superar as dificuldades da luta pela fertilidade. Senhora ajuda-me (simplesmente) a aceitar tudo!"

Seis meses depois estava grávida de gémeos. 

Seis meses depois estava mais do que decidida que o egoísmo de guardar todos os momentos de dor teriam de ser partilhados para que outros se pudessem rever e quiça ajuda-los algures nos seus caminhos.

A Senhora foi generosa. A mãe de todas as mães ouviu-me e num ato que nunca entenderei mas que aceito numa gratidão incomensurável fez de mim mãe de dois seres pequeninos que amo mais do que a vida.

Obrigada mãe. A gratidão é a memória do coração e o meu terá tatuado para todo o sempre esta nossa caminhada de fé, dor e gratidão e a certeza de que voltarei... sem promessas (como da primeira vez) mas regressarei a ti.

design

design by: We Blog You